segunda-feira, abril 09, 2007

Relacionamento Educacional

Muito já falei sobre o cenário da educação no Brasil. Hoje pretendo abordar um assunto muito delicado no meio educacional, ou seja, a “profissionalização” do setor. Profissionalizar parte inicialmente da idéia de formação do aluno, ou seja, a educação é a meta principal. Contudo, não é possível diante de um cenário de tantas dificuldades, que os gestores não passem a ter uma visão empresarial para garantir a sua atuação no mercado.

Principalmente no ensino particular é evidente que os gestores precisam fazer alguma coisa para o negócio prosperar e ser lucrativo. Diante desse quadro não é possível para as instituições particulares não prestarem atenção na urgência que se faz um treinamento constante de seus professores, que são o bem mais valioso de uma instituição de ensino.

O que tenho percebido é uma miopia por partes dos gestores que teimam em pensar que instalações adequadas, plano de ensino coerente, reconhecimento de cursos, manutenção, laboratórios e um bom corpo docente já basta para o sucesso do negócio. O mercado já mostrou que não é isso, isso é somente a obrigação de uma Instituição de Ensino.

Hoje quero abordar outro assunto: RELACIONAMENTO. Quando queremos criar significado para uma marca a primeira coisa que o gestor tem que ter em mente é: relacionamento. E saber que qualquer tipo de relacionamento pode acabar de uma hora para outra. E que pequenas coisas no dia a dia podem acarretar o término de um relacionamento duradouro. Como ocorre com casamentos, namoros, noivados etc.

O gestor deve estar sempre pensando em fazer algo para que o aluno se sinta encantado e envolvido com a escola; e que, além de estar recebendo os serviços por ele contratado na hora da matrícula, ele esteja recebendo algo mais durante o curso todo.

Chamamos de Branding o gerar e gerir uma marca, assim, no gerúndio, porque é um processo permanente de se relacionar da melhor forma. E continuamente encantar, atrair, instigar a imaginação e envolver, através da narrativa da marca, em todos os pontos de contato com o aluno. A forma mais fácil para uma Instituição de Ensino manter o interesse do aluno renovado todos os dias é seduzir dentro da sala de aula. Por isso a necessidade de treinamento do corpo docente. É claro que todos os funcionários também necessitam de treinamento. Mas sinto a necessidade de enfatizar a importância do treinamento para os professores.

O corpo docente de uma Instituição de Ensino deve ter profissionais com uma formação acadêmica adequada e muita reputação no mercado, o que é obvio. Além disso, todos os professores devem conhecer a instituição em que trabalham. Eles devem, além de conhecer a missão, a visão e os valores da escola, principalmente concordar com o seu posicionamento e com os atributos propostos pela marca educacional.

Na realidade, o papel do professor em sala de aula é o mesmo do gestor na organização, ou seja, o de um gerente de produto. O produto é a formação de uma pessoa, de acordo com os princípios nos quais a instituição acredita. Ele deve preparar as suas aulas com amor, como se fosse um presente dado aos alunos (Goffredo Telles Jr) e efetivá-las pensando que está oferecendo o melhor produto que existe, acompanhado das características da Instituição que ele trabalha.

Além disso, como líder, ele deve saber gerenciar suas emoções, gerar entusiasmo, deve manter uma atmosfera de cooperação e confiança, trabalhar em equipe, cumprir objetivos e motivar a todos. Também, é claro, estimular a determinação e a disciplina em seus alunos.

Mas como fazer isso? Mudar comportamentos e atitudes não é uma tarefa das mais simples. Porém não é impossível. Como acontece com os grandes executivos, treinamentos e encontros constantes são muito eficazes para alinhar produtos e serviços à marca educacional. Porém, deve-se perceber que o professor já tem a sua bagagem e o seu conhecimento. Não quero em hipótese alguma falar em treinamento no que diz respeito aos conhecimentos dos professores. Isto não é necessário, senão não seriam nem contratados pela Escola.

Acredito que os treinamentos específicos deveriam fazer parte do departamento de Gestão de Marcas da Escola, pois esse sim é capaz de orientá-los da melhor forma possível nesse aspecto. Quanto ao conteúdo dos treinamentos, tratarei em outra oportunidade.



2 comentários:

Fábio Pereira disse...

O blog está excelente. Parabéns! Todas as formas inovadoras de se pensar a educação (elemento tão essencial para o crescimento do país)são louváveis e sempre necessárias.

Abraços

Fábio Pereira
www.sogripa.blogspot.com

Brandao, Roberto disse...

Achei interessante o assunto abordado, gostaria de concluir que muitas escolas particulares, sente a necessidade de criar inovacoes tecnologicas para atrair e manter os alumos dentro da escola, quando ao aspecto humano (professores, secretarias, etc...) säo meros objeto e por isto sao poucos valorizados ou ate mesmo excluído.
Também não eh somente as escolas particulares que fazem isto, mas sim o proprio Estado, pois a plisma de quando mais burro o alumo sair da escola, mais facil para poder o manipula. Infelzimente esta realidade esta nas nossas instituições de ensino no Brasil afora. []'s

Case Barack Obama - Marketing Viral e Redes Sociais

Incrível vídeo Geração Y