terça-feira, março 20, 2007

BLOGGERS E SUA FUNÇÃO PRIMEIRA









Olá, prezados leitores!

Com muito carinho, hoje coloco esse artigo escrito por um grande amigo, e tenho a certeza que vai nos ajudar a entender melhor essa "blogosphera" em que vivemos.

O Vicente é consultor da Apropriar Assessoria Pedagógica e agora também um parceiro!

Olá amigos!

É comum ouvirmos nossos alunos comentando entre eles sobre os “bloggers” ou, como se popularizaram: os “blogs”. Mas, o que vem a ser um “blog”? São diários publicados na web que podem ser atualizados constante e regularmente, organizados de forma cronológica, onde o usuário pode incluir textos, fotos e até pequenos filmes. A maioria é grátis, basta ter uma conexão com a internet e muita criatividade. Os sites que oferecem esse tipo de serviço deixam, à sua disposição, vários exemplos de fundo de tela, composição de cores e design pré-criados para facilitar a vida dos internautas interessados. Então, fica fácil se ter um blog... na verdade, muito fácil. Um exemplo simples de entender: na época das olimpíadas, alguns atletas publicavam o dia-a-dia de suas equipes e assim, mantinham um relacionamento estreito com a torcida brasileira e, ao mesmo tempo, com familiares. Dava para saber tudo sobre os bastidores e a rotina da Vila Olímpica. Essa seria a principal e primeira função do blog. Informar sobre algo, sobre algum assunto de interesse específico de um grupo de pessoas, familiares, agremiações. Com a massificação da ferramenta, os exibicionistas de plantão apareceram e se apropriaram de mais esse recurso tecnológico, poderosíssimo e de longo alcance. O que podemos dizer, então, de um recurso banalizado e levado ao senso comum como um apoio extra ao público exibicionista? Tentarmos reverter e moralizar o seu uso? Quem pensou “impossível”, é isso mesmo... é impossível. Cercear o livre arbítrio e moralizar a difusão de algo “tomado” pelo grande número de usuários da internet é impossível. Mais uma vez, proponho que nós, professores, de informática ou não, tentemos reverter essa maré a nosso favor. Como fazer isso então? Experimente acessar um dia, o “blog” ou “foto-log” de um se seus alunos. É interessante a falta de assunto específico, a não ser pela própria pessoa que o publica e “alimenta”. Fulano fez seu blog e deixa sempre uma foto e, logo abaixo, seguem os comentários, a respeito da foto, ou não... geralmente, nós nem entendemos o que acontece, porque eles comentam na linguagem da “tribo dos naums” e, tratam de assuntos particulares da relação do “blogueiro” em questão e seus amigos que, tem outros “blogs” e, que aproveitam esse espaço para convidarem os freqüentadores, para fazerem uma visitinha ao seu blog em particular. Deu pra entender? É complicadinho mesmo, e simples ao mesmo tempo. Quando encontramos um amigo, ao vivo, trocamos cumprimentos, elogios e perguntamos como vão indo as coisas, ao final da breve conversa, marcamos um encontro ou trocamos os telefones para nos contatarmos em outro dia. Essa relação inter-pessoal é o que promove o “blog”. Podemos achar até um tanto “frio”, porém pode ser algo muito dinâmico e sério. A Escola e nós, professores, podemos nos apropriar desse mecanismo e promover um encontro dos alunos. Porque não usarmos o “blog” como nosso aliado? Você já parou pra pensar nessa possibilidade?
Pense nisso.
Até mais.
Vicente Candido

2 comentários:

vicente disse...

OI Lú, adorei a publicação do meu texto em seu blog "super-famoso"!
Agora a parceria está feita!
beijos

Paulo Peres disse...

Sim, Vicente, acho que o blog pode ser um mecanismo unificador, acho até que ele sempre será, as vezes mesmo sem querer.
Muitas empresas estão se rendendo a esta nova, possibilidade de comunicação impessoal, para mostrar, divulgar novas visões e falar de assuntos diversos, com o único intuito de entreter e/ou de angariar novos leitores.
Acho que sempre é válido, basta apenas saber como fazer bem feito, para não se tornar algo se credibilidade.
Abraços e Parabéns tmb a Luciane

Case Barack Obama - Marketing Viral e Redes Sociais

Incrível vídeo Geração Y